Câmara aprova projeto que torna obrigatório o teste da linguinha

Objetivo é diagnosticar e tratar precocemente as limitações de movimentos da língua causadas pela língua presa que podem comprometer as suas funções

Os vereadores aprovaram por unanimidade o projeto de lei 11/2013 de autoria do vereador Salim Mattar que dispõe sobre a obrigatoriedade de realização do “Teste da Linguinha” em recém-nascidos no município.

De acordo com o artigo primeiro da lei, os hospitais e maternidades de Ourinhos ficam obrigados a realizar gratuitamente o exame de frênulo lingual, mais conhecido como “Teste de Linguinha”, nas crianças recém-nascidas em suas dependências.

Por época da vacinação ou campanhas para esse fim, os responsáveis pelas crianças deverão ser orientados à realização do teste, caso se constate que não tenha sido feito.

O “Teste da Linguinha” é um procedimento de grande importância para diagnóstico precoce e, se necessário, tratamento adequado, corrigindo problemas imediatos como sucção na amamentação, deglutição e, posteriormente, mastigação e fala.

Além disso, o teste é um protocolo desenvolvido no Brasil pela fonoaudióloga Roberta Martinelli, fonoaudióloga residente em Brotas/SP, cidade esta que já instituiu lei semelhante sendo aprovada por unanimidade para diagnóstico da língua presa em bebês. “Língua presa é uma alteração comum, mas muitas vezes ignorada, estando presente desde o nascimento e ocorre quando uma pequena porção de tecido que deveria desaparecer permanece na parte inferior da língua, impedindo seus movimentos”, disse Mattar.

De acordo com o vereador, no passado era realizada apenas uma inspeção visual para detectar a presença de língua presa. Atualmente, com as recentes pesquisas, a avaliação e o diagnóstico da língua presa podem ser feitos por profissionais qualificados e informados.

Existem graus variados de língua presa, por isso a importância de haver um teste que leva em consideração os aspectos anatômicos e funcionais para fazer um diagnóstico preciso e indicar a necessidade, ou não, da realização do pique na língua.

 Quando um bebê nasce com língua presa, normalmente parentes muito próximos podem apresentar o mesmo problema. Por falta de informação, muitos sofrem em silêncio as várias dificuldades que a língua presa pode causar.

 O vereador destacou ainda que há bebês que tem alterações no ciclo de alimentação, causando estresse tanto para ele quanto para a mãe; crianças com dificuldades na mastigação; crianças e adultos com distorções na fala, afetando a comunicação, o relacionamento social e o desenvolvimento profissional.

 Para diagnóstico precoce de alterações que podem comprometer o desenvolvimento do bebê já existem o teste de Apgar, do olhinho, do pezinho e da orelhinha. “A proposta do teste da linguinha vem com o objetivo de diagnosticar e tratar precocemente as limitações de movimentos da língua causadas pela língua presa que podem comprometer as funções exercidas pela língua: sugar, mastigar, engolir e falar”, disse o vereador.

Ainda segundo Salim Mattar, a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia em parceria com a Associação Brasileira de Motricidade Orofacial, o Conselho Federal de Fonoaudiologia e a Prefeitura Municipal de Brotas lançaram, também em setembro de 2012, a campanha nacional do teste da linguinha, com o objetivo de esclarecer à população sobre a língua presa e a importância do diagnóstico precoce para evitar o desmame precoce e futuras alterações na fala. Com essa campanha, muitos profissionais já estão realizando o teste da linguinha em hospitais e maternidades de todo o Brasil.

Compartilhe

Você pode se Interessar:

Anuidade ABRAMO 2022