Teste da linguinha passa a ser procedimento obrigatório em São Paulo

A cidade de Brotas, no interior de São Paulo, é a primeira localidade a reconhecer a importância de avaliar se recém-nascidos têm língua presa. O protocolo de avaliação de frênulo lingual em bebês, ou teste da linguinha, como normalmente é chamado, passou a ser prática comum na maternidade local desde o dia 13 de setembro, quando a Lei Municipal nº 2.565/2012 entrou em vigor.

O exame é feito por fonoaudiólogos em crianças de até seis meses e é garantido pelo Sistema Único de Saúde. Especialistas contam que o procedimento é importante para corrigir logo cedo problemas que limitam a sucção da criança durante a amamentação. “Teste da linguinha também evita que o bebê cresça com dificuldades na fala”, acrescenta a presidente da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa), Irene Marchesan.

A fonoaudióloga Roberta Martinelli, criadora do teste da linguinha, afirma que a técnica não causa dor alguma ao bebê. Primeiro, a profissional examina com os dedos o movimento da língua e a posição do frênulo, pele que fica sob o órgão. Em seguida, observa e grava a amamentação da criança, para depois analisar os detalhes.

“Bebês com alteração no frênulo têm um número menor de sucção e um tempo maior de amamentação, algo em torno de oito a dez segundos. O normal é que essa pausa seja de quatro segundos e que a criança tenha uma quantidade maior de sucção”, explica a fonoaudióloga Roberta Martinelli.

Ela diz que ao ser identificada alguma alteração no frênulo da língua a criança tem de passar por uma cirurgia para corrigir o problema. A intervenção chama-se frenectomia, ou simplesmente pique, que consiste em um corte pequeno nesse pedaço de pele. O procedimento completo dura cerca de dez minutos e a criança não precisa ficar internada.

A fonoaudióloga acompanha toda a cirurgia ao lado do médico e também o pós-operatório. Segundo Roberta Martinelli, de 100 bebês que foram avaliados em Brotas de setembro de 2011 a abril de 2012, 15 precisaram da intervenção.

Importância nacional
A sanção da Lei Municipal nº 2.565/2012 significa um avanço para a saúde pública. A presidente do Conselho Federal de Fonoaudiologia, Bianca Queiroga, espera que a iniciativa contagie outros gestores públicos pelo país. “É importante que isso seja difundido para que outros municípios e até estados percebam a relevância desse exame para o desenvolvimento infantil”, diz.

A presidente da SBFa, Irene Marchesan, afirmou que fará um esforço para convencer os parlamentares a transformar o teste da linguinha em lei federal, assim como ocorreu com os testes da orelhinha, do pezinho e do olhinho.

Fonte: Assessoria de Imprensa do CFFa

Compartilhe

Você pode se Interessar:

Anuidade ABRAMO 2022